quarta-feira, 3 de junho de 2009

.

" " sussurrava sua pele a deslizar sob os delicados dedos de seu rapaz.
"É como o marulhar das aguas" ele pensava.
" " Susurravam os dedos dele ao deslizar sobre a pele de sua moça.
"E como o marulhar das aguas" ela pensava.
" Tum

Tum

Tum"

Rimbombavam os dois corações.

Eles sabiam o que ribombava.
E por isso sorriram calados.

Agora eram nus.
Esquecidos de estar.
Porquê o que paga um Agora é Ser.


Eram braços, pernas,
pelos, lagrimas,
suor

Um só Abraço.

"Parece veludo" foi pensado
"Parece Pedra" Foi pensado

Pois que ele era ela e ela era ele
que era ela
que era ela
que era ele

"Parece chuva"


Eram-se. feitos Verbo.

Tudo tato
Olfato
Audição
Visão
Paladar

Tudo Silêncio



"parece..."




"Eu sei fazer Amor" sussurrou-se mesmo sem palavras.


"Parece"

"Parece"

" "

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Ai, tão lindo isso. Deu quase pra ver acontecendo.

    ResponderExcluir
  3. nda melhor do que brincar somente com gestos, as vezes palavras só fazem atrapalhar a brincadeira..-_*

    ResponderExcluir
  4. você me fez chorar. precisamos conversar about it, gatoam. esse poema aí foi foda, foi como se alguém tivesse escrito o que eu vivenciei. :~

    ResponderExcluir